Blog da célula – Foi por Amor – Grupo de comunhão.

Arquivo para a categoria ‘#Reflexão’

Deus quer nos salvar e nos livrar dos pecados! Jesus veio pra isso!

Por John Piper © 2012 Desiring God Foundation. Usado com permissão. Website em português: www.satisfacaoemdeus.org. Original: How the Rescued Life Looks. Tradução: Vinícius Musselman Pimentel – Editora Fiel © Todos os direitos reservados.

Erramos por preferir a glória do homens!

Por John Piper © 2012 Desiring God Foundation. Usado com permissão. Website em português: www.satisfacaoemdeus.org. Original: How the Rescued Life Looks.Tradução: Vinícius Musselman Pimentel – Editora Fiel © Todos os direitos reservados.

Por Que Deus nos Criou ?

Por John Piper © 2012 Desiring God Foundation. Usado com permissão. Website em português: www.satisfacaoemdeus.org. Original: How the Rescued Life Looks.Tradução: Vinícius Musselman Pimentel – Editora Fiel © Todos os direitos reservados.

Combatendo o ciúme

Leitura: 1 Coríntios 3:1-10
Porquanto, havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem? —1 Coríntios 3:3

Conta-se a história de dois lojistas fortemente rivais. Diariamente, eles acompanhavam os negócios um do outro. Se um deles recebia um cliente, sorria triunfantemente para seu rival.

Certa noite, um anjo apareceu a um dos lojistas em sonho e disse: “Eu lhe darei o que quer que você me peça, mas, aquilo que você receber, seu concorrente receberá em dobro. Qual é o seu desejo?” O homem franziu o cenho e respondeu: “Deixe-me cego de um olho.” Isso é ciúme do pior tipo!

A emoção autodestrutiva do ciúme teve o potencial de provocar divisão na igreja de Corinto. Estes cristãos haviam recebido o evangelho, mas não tinham permitido que o Espírito Santo transformasse seus corações. Como decorrência, sentiram ciúmes uns dos outros, dividindo a comunidade. Paulo identificou o ciúme deles como um sinal de imaturidade e mundanismo (1 Coríntios 3:3). Estes cristãos não estavam agindo como pessoas transformadas pelo evangelho.

O nosso contentamento e gratidão pelo que temos é um dos mais claros indicadores de que o Espírito Santo está operando em nossas vidas. Portanto, em vez de sentirmos ciúmes, somos capazes de genuinamente celebrar os dons e as bênçãos dos outros.

A gratidão a Deus é o remédio para o ciúme.

fonte: RBC.org

CORRETIVO

Leitura: 1 Samuel 2:12,27-36
Por que […] honras a teus filhos mais do que a mim, para tu e eles vos engordardes das […] ofertas do meu povo de Israel? —1 Samuel 2:29

A terapeuta e mãe Lori Gottlieb diz que os pais obcecados com a felicidade de seus filhos podem, na realidade, contribuir para que estes se tornem adultos infelizes. Estes pais mimam seus filhos, não os preparam para lidar com o mundo real, fazem vista grossa quando seus filhos erram, e negligenciam a necessidade de discipliná-los.

No livro de 1 Samuel lemos que, às vezes, o sumo sacerdote Eli fazia vista grossa. Não sabemos que tipo de pai ele era quando seus filhos eram jovens. Mas, ele fracassou em lidar adequadamente com o comportamento deles, como homens adultos, servindo no templo de Deus. Eles eram egocêntricos, concupiscentes e rebeldes, colocando suas próprias necessidades acima da Palavra de Deus e das necessidades do povo. No início, Eli os repreendeu, mas, eles não quiseram dar-lhe ouvidos. Em vez de removê-los do serviço, ele fez vista grossa e deixou-os continuar em pecado. Como resultado dos pecados de seus filhos e devido a Eli ter honrado seus filhos acima do Senhor (1 Samuel 2:29), o Senhor alertou Eli de que sua família sofreria julgamento (v.34; 4:17-18).

Como pais cristãos, temos a tremenda responsabilidade de disciplinar amorosamente nossos filhos (Provérbios 13:24; 29:17; Hebreus 12:9-11). Ao transmitir-lhes a sabedoria de Deus, temos a bênção de ajudá-los a se transformar em adultos responsáveis e tementes a Deus.

O fracasso em disciplinar nossos filhos é um fracasso em amá-los.
fonte rbc.ORG

O que não é uma Célula

Completamente limpo

Leitura: 1 João 1:1-10
Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. —1 João 1:9

Certo amigo falou-me sobre o seu ano anterior — um ano em que passara por constante tratamento médico contra o câncer. O sorriso em seu rosto era um poderoso testemunho das boas notícias que acabara de receber.
Disse-me que em seu check-up anual o médico tinha informado que todos os resultados dos testes indicavam a alternativa: “completamente limpo!” Que diferença duas palavras podem fazer! Para meu amigo, ouvi-las, significou que todo o rastro da doença que havia ameaçado sua vida meses antes tinha desaparecido de seu corpo. Alegramo-nos ao ouvir que ele estava completamente limpo!

O rei Davi, após sua falha moral com Bate-Seba, ansiava para que algo semelhante a isso acontecesse em seu coração. Esperando que as manchas de seu pecado fossem lavadas e desaparecessem, ele clamou: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável” (Salmo 51:10). Há uma maneira de lidar com os nossos pecados, e esta é boa notícia para ele e também a nós. Quando precisamos de limpeza, as palavras familiares de João trazem esperança: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:9).

Não podemos limpar nossos próprios corações, apenas Deus pode fazê-lo. Se confessarmos nossos pecados, Ele promete nos deixar completamente limpos!
Se você está agora achando que não tem errado perante Deus, peça a Ele para lhe mostar quais erros temos cometido e em sequência faça essa oração:
“Senhor meu Deus e Pai sei que sou fraco e falho, e estou buscando melhorar, pequei contra o senhor e ou pessoas, me arrependo dos meus atos, minhas atitudes e até os pensamentos que muitas vezes  não tem te onrado, perde minhas falhas e eu a partir de hoje irei ser melhor para te glorificar, aceite minhas orações em nome de JESUS, AMÉM!

Ao confessarmos nossos pecados a Deus, Ele sempre nos torna completamente limpos.
Siga em frente, e faça oque Jesus  disse ” vá e não peques mais”..
Alexandre G. Reis
@alexandregreis