Blog da célula – Foi por Amor – Grupo de comunhão.

Obs. O presente estudo foi feito por meio uma compilação de trechos do livro “A mensagem do Antigo Testamento” Mark Dever e do blog do teólogo Alexandre Melhoranza, portanto contam com transcrições literais dessas fontes,

 

Texto base: Gl 3: 1-25

Jesus enfatizou de forma incontestável que as Escrituras do Antigo Testa­mento testificavam dEle. Claro que elas também testificam todo tipo de outras coisas: piedade, fidelidade, o progresso e o regresso do povo de Deus, o pecado, o julgamento e assim por diante.

Contudo, Jesus, os apóstolos e outros escrito­res do Novo Testamento enfatizam que, acima de tudo, o Antigo Testamento é sobre Ele.

Portanto, por que a primeira pergunta que, muitas vezes, fazemos a respeito do Antigo Testamento é esta:

O que essa passagem nos fala a respeito de nós mesmos?

 Sem dúvida, a primeira e principal pergunta que deveríamos fazer é:

Como essa passagem testifica de Cristo?

 Sempre devemos começar por essa última pergunta, porque apenas Jesus Cristo, aquele que cumpre o Antigo Testamento, define a vida do cristão.

Se o Antigo Testamento não apontar para Cristo, também não aponta para o cristão.

Nas páginas do Antigo Testamento, aprendemos muito com os homens e as mulheres, bons e maus, que viveram antes de nós. Todavia, na análise final, apenas Cristo define como esses indivíduos foram bons ou maus. Além disso, nosso crescimento cristão vem de nos tornarmos mais parecidos com Cristo, não com Abraão, ou Davi, ou Daniel. Esses heróis do Antigo Testamento são exemplos para nós apenas à medida que prenunciam e apontam para Cristo.

Jesus disse aos judeus que afirmavam ser descendentes de Moisés: “Se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim, porque de mim escreveu ele” (Jo 5.46).

A resposta de Jesus quando afirmavam que Abraão era o pai deles: “Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se” (Jo 8.56). Fica claro que, de alguma forma, o dia de Cristo estende-se até o Antigo Testamento. Cristo cumpre as promessas feitas a Abraão. O Jesus ressurreto, quando apareceu para seus discípulos desmoralizados, lembrou-os da necessidade de que houvesse o sofrimento de Cristo.

Então, “começando por Moisés e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras” (Lc 24.27). As pala­vras finais de Jesus a respeito da explicação das Escrituras do Antigo Testamento foram: “Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse e, ao terceiro dia, ressuscitasse dos mortos; e, em seu nome, se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém” (Lc24.46,47).

Isso só pode significar que o Antigo Testamento é sobre o evangelho de Cristo.

 É preciso admitir que muitos pregadores negligenciam o Antigo Testamento porque é muito mais difícil de pregar do que o Novo Testamento. Alguns que o acham mais fácil do que eu creio que fazem isso, porque acham adequado reduzir o Antigo Testamento a uma fonte para homilias moralizadoras. Aceita-se o papel dos personagens do Antigo Testamento como puramente tipos. Também há os pregadores narrativos que se satisfazem em apenas recontar as histórias e deixar que os ouvintes cheguem as suas próprias conclusões. Todavia, toda a história da Bíblia é apenas uma.

Ela apresenta muita variedade e diversidade, porém, ainda é uma e a mesma história. Sob o ponto de vista cristão, inicia-se com Cristo, o Criador (Jo I .I -3), chega ao ápice com Cristo, o Salvador e consuma-se com o retorno de Cristo em glória.

 Não podemos mais isolar a narrativa do Antigo Testamento do Cristo que lhe provê sentido, da mesma forma que não poderí­amos isolar uma cena de uma peça teatral de seu ponto de culminância e de seu desenlace.

Princípios

 Sem dúvida, os princípios são importantes. Muitas pessoas o consideram a melhor parte da jornada. Platão dizia que era a parte mais importante do trabalho. A construção toda fica comprometida, se a fundação não for boa.

A Bíblia conta-nos que o temor a Deus é um bom ponto de partida. Com certeza, os princípios, com frequência, dizem-nos algo do todo. Eles são prodigiosos e carregam em si a semente do resultado final.  E provável que eu possa lhe dizer como será o seu dia se contar-me como ele se iniciou. Por isso, aconselhamos: “Inicie-o da forma que pretende prosseguir com ele

Os inícios são muito importantes. Eles podem revelar tudo, da trajetória ao objetivo, do método ao motivo.

 Em qualquer versão da bíblia, o pentateuco tem posição primária!

 O termo Pentateuco se refere aos cinco primeiros livros da Bíblia cristã. Mas este nome provém da palavra grega pentateuchos, que significa cinco rolos. Este nome foi usado pelos judeus helenistas (não nascidos na Palestina) de Alexandria, pois os judeus de origem hebraica o conheciam com Torah, ou seja, “instrução em santidade” que pertence a TANAK. (TORÁ – NEVIIM – KETUVIM)

 Outros nomes para esta coleção são usados, tais como:

  • Lei
  • Livro da lei
  • Lei de Moisés

Os livros que compõem esta coleção foram os primeiros escritos a serem reconhecidos como canônicos, ou inspirados divinamente, pela comunidade hebraica.

A igreja cristã, desde seu início, herdou esta tradição. Na divisão tripla da Bíblia hebraica, Lei, Profetas e Escritos, o Pentateuco ganha destaque vindo sempre no início.

Tema e conteúdo em geral

Apesar de conhecermos, hoje, o pentateuco como cinco livros separados, ele deve ser compreendido como um único livro em cinco volumes. Para uma compreensão básica, o Pentateuco pode ser dividido em dois grandes blocos:

  • Gênesis 1-11
  • Gênesis 12 – Deuteronômio 34

 

A primeira parte explica a criação de todas as coisas e a queda do homem.

  Podemos encontrar os seguintes temas neste bloco:

  • Origem das coisas
  • A criação pefeita
  • Propósito do homem
  • A origem do pecado
  • O julgamento do pecado (observado no dilúvio)
  • A misericórdia de Deus (observada ao poupar Noé e sua família)
  • Orgulho e autosuficiência do homem (observados na Torre de Babel)

A segunda parte se propõe a explicar a resposta ao dilema apresentado na primeira parte, e inclui os seguintes temas:

  • Chamada de Abraão (ARAMEU, PAGÃO)
  • Eleição do povo de Israel
  • A Aliança com seu povo

 A narrativa do Pentateuco tem o seguinte esboço:

Jave escolheu o povo hebreu, representado por Abrão, sem qualquer mérito. Livrou este povo da escravidão do Egito de modo miraculoso e estabeleceu com este povo sua aliança. A este povo Javé deu terras e uma lei para que pudessem ter uma constituição.

 Unidade do Pentateuco

O tema que unifica todas as partes do Pentateuco é a promessa feita a Abrão registrada em Gênesis 12:3.

A importância do Antigo Testamento para a igreja é observada pelo uso que o Novo Testamento faz dele. Paulo, especialmente, recorre muito ao Antigo Testamento principalmente o trecho compreendido entre a chamada de Abrão até o rei Davi.

 Isto pode ser observado em seu discurso registrado em Atos 13:17-41. Neste discurso, Paulo afirma que Cristo é o objetivo máximo e o cumprimento da redenção narrada no Antigo Testamento.

A unidade do Pentateuco é vista também nas narrativas dos livramentos de Deus, tendo como centro a confissão de fé mostrada no Êxodo, ponto máximo da redenção de Javé no Antigo Testamento.

A redenção dada no Êxodo serve de padrão dos atos de salvação de Javé no Antigo Testamento,

Conforme podemos observar nos seguintes textos: Amós 2:4-10; Jeremias 2:2-7; Salmos 77:13-19.

 Esta história é narrada de Gênesis a Deuteronômio, e os capítulos 12 a 50 de Gênesis apresentam a promessa dessas terras, o livramento que será dado imerecida e gratuitamente, apontando para a concretização do cumprimento da aliança e a posse dessas terras.

Contexto Histórico do Pentateuco

O Pentateuco cobre o período histórico da criação até a morte de Moisés, pouco antes do povo hebreu entrar na Terra Prometida.

Sem entrar muito nos detalhes de data, pois há uma ampla variedade de linhas de pensamento, adotaremos o período de 2000 a.C. para as narrativas patriarcais e o período de 1500 a.C. para as narrativas do Êxodo. O período histórico comum é situado na Idade do Bronze Médio no Antigo Oriente Médio.

A civilização egípcia é a que mais predomina durante a história do Pentateuco.

Gêneros literários do Pentateuco

O Pentateuco contém um amplo acervo de gêneros literários, reflete a natureza da arte hebraica em sua forma e conteúdo. Grande parte do conteúdo do Pentateuco é expresso por meio das narrativas.

Estas narrativas não são apenas registros históricos do povo hebreu, pois há interpretações teológicas mescladas ao texto, tal como a interpretação dos sofrimentos de José em favor do seu povo, registrada em Gênesis 50:15-21.

 As narrativas do Pentateuco também incluem linguagem antropomórfica, ou seja, dar características humanas para Deus (Deus se ira, se arrepende, tem braços, mãos, rosto, etc.), além de teofanias, ou a manifestação visível de Deus entre seu povo (sinais da natureza, tais como trovões; o “ANJO DO SENHOR”).

Outro gênero literário muito comum no Pentateuco é a poesia. Abaixo segue os principais tipos de poesia encontrados no Pentateuco:

  • Orações: Benção sacerdotal de Arão – Números 6:22-27
  • Canções de louvor: Cântico de Miriã – Êxodo 15:21
  • Canção no estilo épico: Cântico de Moisés – Êxodo 15
  • Bençãos de família: Jacó abençoando seus filhos no leito de morte – Gênesis 49
  • Profecias: Balaão profetizando sobre Israel – Números 23 e 24

 

A LEI

 O terceiro tipo mais comum de estilo literário é o legal (lei). O conceito de lei, no mundo do Antigo Testamento, não era exclusivo do povo hebreu. Pelo contrário, pois é certo que povos distintos dos hebreus já tinham suas leis promulgadas a pelo menos 500 anos antes das leis de Moisés. O povo babilônico é um exemplo. A influência destes documentos na formação da Lei do Pentateuco é inegável.

O objetivo da lei para os hebreus era organizar e regulamentar a vida cotidiana do povo (cerimonial, moral e civil) tendo em vista a santidade requerida por Javé no relacionamento da aliança estabelecida.

LEI CERIMONIAL/ SACRIFICIAL

Cultos, derramamento de sangue.

LEI CIVIL

Regulamentava as relações sociais (escravidão, propriedade, guerra, etc)

LEI MORAL (Sintetizada nos 10 mandamentos) Mt 19: 16-22

 Condição da aliança

Revela o caráter santo de Deus

 

TIPO DE LEI TRECHO BÍBLICO
Moral Deuteronômio 5-11
Cerimonial Deuteronômio 12-16
Civil Deuteronômio 17-26

Duas dessas três categorias – as leis cerimoniais e civis – não têm nenhuma aplicação para nós atualmente. Pois foram por Cristo CUMPRIDAS, CONCRETIZADAS e ABOLIDAS (Hebreus 8:7, 13; Hebreus 7:18; 2 Coríntios 3:14-18)

 

EM RELAÇÃO A DEUS

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.” (Mateus 22:37)

ANTIGO TESTAMENTO MANDAMENTOS NOVO TESTAMENTO
Êxodo 20:3; Deuteronômio 5:7 Não terás outros deuses diante de mim. 1 Coríntios 8:4; Atos 14:15
Êxodo 20:4; Deuteronômio 5:8 Não farás para ti imagem de escultura. Gálatas 5:19-21; Romanos 1:22,23
Êxodo 20:7; Deuteronômio 5:11 Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão. Tiago 5:12
Êxodo 20:8; Deuteronômio 5:12 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Este mandamento é o único dos dez que não é repetido em nenhuma parte do Novo Testamento!

(Colossenses 2:16; Romanos 14:5)

EM RELAÇÃO AOS SERES HUMANOS

“Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”

(Mateus 22:39)

Êxodo 20:12; Deuteronômio 5:16 Honra teu pai e tua mãe. Efésios 6:2,3
Êxodo 20:13; Deuteronômio 5:17 Não matarás. Romanos 13:8-10
Êxodo 20:14; Deuteronômio 5:18 Não adulterarás. Romanos 13:8-10; 1 Coríntios 6:9,10
Êxodo 20:15; Deuteronômio 5:19 Não furtarás. Romanos 13:8-10; Efésios 4:28
Êxodo 20:16; Deuteronômio 5:20 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. Apocalipse 21:8; 22:15
Êxodo 20:17; Deuteronômio 5:21 Não cobiçarás. Romanos 13:8-10; Efésios 5:8

Quadros extraídos de : http://www.pastorfelipemiranda.blogspot.com Pastor Felipe Miranda: OS DEZ MANDAMENTOS NO NOVO TESTAMENTO
http://www.pastorfelipemiranda.blogspot.com/
Under Creative Commons License: Attribution

Conclusão: O Pentateuco e a Igreja Cristã

 A questão da interpretação ou mesmo o uso do Antigo Testamento pela Igreja é alvo de antigas controvérsias ao longo da história. Existiram desde aqueles que negaram completamente a utilidade do Pentateuco pela Igreja até aqueles que ainda tem em todas as leis e narrativas do Antigo Testamento um padrão doutrinário e comportamental para Igreja.

A difícil conciliação entre “Lei” e “Graça” originou vários métodos de interpretação do Pentateuco para a Igreja hoje. Abaixo estão algumas abordagens do Antigo Testamento adotadas pela Igreja:

 – O Pentateuco como um manual de ética pessoal. (Necessário muita cautela nessa abordagem)

– O Pentateuco como “testemunha de Cristo”, ou seja, tudo tem um “significado oculto” que aponta para Cristo.

– O Pentateuco como parte integrante da história da salvação, onde Deus age como redentor da humanidade.

– O Pentateuco como parte das “Escrituras” para a Igreja, atuando como voz de autoridade com relação à crença e prática na comunidade religiosa.

Pontos que devemos refletir:

  • O que diremos estão? Anulamos a Lei???(Rm 3:31); 
  • De fato o equilíbrio entre Lei e Graça é a Cruz de Cristo; 
  • Cristo cumpre toda a lei (Lc 2: 21-24); 
  • Cristo foi batizado a fim de cumprir toda a justiça; e 
  • A lei não purifica, mas traz à tona toda a inclinação perversa do homem

 Pelo fato de Cristo ter nascido debaixo da Lei e a cumprido para nos resgatar, nós não precisamos mais nos circuncidar, oferecer mais sacrifícios, dietas religiosas, nem escravizados por um calendário religioso, pois isso Cristo cumpriu em nosso lugar plenamente

Todas essas coisas apontavam para a santidade que Deus deseja para seu povo, mas era uma pureza de coração apontavam para o próprio sacrifício que Cristo realizara na Cruz.

Efeito prático do cumprimento da Lei por Cristo é liberdade que temos hoje cultuar e louvar!

Não estamos mais debaixo da condenação da Lei, pois essa lei é Santa, justa, boa e vem de um Deus santo e ela aponta os nossos pecados e consequentemente ela nos enquadra e exige a nossa alma como pagamento.

Mas Cristo ao se submeter a LEI e cumpriu todas as exigências da Lei e sanou suas demandas de uma vez por todas!!! Aleluia!!!Amém!!!

Célula “Foi Por Amor”

03/03/2016

Denis Derkian

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: